Franziskaner Weissbier Dunkel

Como toda cerveja alemã, a Franziskaner Weissbier Dunkel é carregada de tradição e qualidade!

Vamos acordar que cervejarias seculares merecem, no mínimo, respeito. E se tem um país que é recheado dessas casas é a Alemanha. A cerveja da semana é fabricada em uma cervejaria que data de 1363 e que está localizada na região próxima a Munique. Sua história conta que passou por alguns proprietários e fusões antes de chegar à gigante InBev, já nos anos 2000.

Cerveja da semana: Franziskaner Weissbier Dunkel
Cerveja da semana: Franziskaner Weissbier Dunkel

O estilo Dunkles Weissbier (10 B, BJCP 2015) traz muito do que já conhecemos da tradicional Weiss, com a banana e o cravo em destaque. Mas aqui o caráter maltado é necessário, principalmente nas notas que partem do trigo, como pão e grãos. O Guia fala também em notas mais nobres, como casca de pão, mas a ideia é que o malte tenha presença marcante para as cervejas do estilo.

O lúpulo não deve aparecer em momento algum. Caso ocorra, devem ser notas florais ou herbais, sempre muito leves. Na aparência, tonalidades mais escuras, mas a espuma ainda é branca. O corpo segue seu estilo irmão, assim como as notas de álcool e a carbonatação. A principal diferença sensorial é mesmo o caráter maltado presente no aroma e no sabor.

É curioso que esse estilo é muito mais antigo que a versão clara da Weissbier, uma vez que os maltes mais claros são muito recentes. Mas isso não impediu que a versão Dunkel fosse ultrapassada. A própria Franziskaner aderiu ao movimento Weiss em 1964, e sua cerveja de trigo clara é a mais vendida da marca.

Para os caseiros, duas dicas muito importantes. A primeira é que os estilos alemães de trigo aceitam bem a decocção, método que trataremos em breve aqui. A segunda é que a fermentação é fundamental para um Weiss, mas o próprio Guia sugere cautela com relação à temperatura, já que valores muito altos podem trazer off flavors.