Leffe Radieuse

A semana já tá quase no fim, mas dá tempo de incluir a cerveja da semana na lista! É a Leffe Radieuse, uma cerveja de personalidade!

Mais uma cerveja chega ao site, uma cerveja que merece destaque. A Leffe Radieuse é uma cerveja de personalidade, de complexidade e de qualidade bastante elevadas, apresentando ao degustador um desafio, um momento de análise profunda e pede uma resposta direta.

Cerveja da semana: Leffe Radieuse!
Cerveja da semana: Leffe Radieuse!

A história da cervejaria é antiga e recheada de reviravoltas. Apesar das receitas remeterem ao ano de 1240, foi somente em 1420 que as cervejas passaram a ser fabricadas para consumo de não-monges. Veio a Revolução Francesa e fechou durante séculos o antigo monastério.

Então, em 1929, os monges decidiram reativar a prática de fabricação utilizando as mesmas receitas de antes. A compra da marca pela gigante AB ImBev só foi aceita após o cometimento do conglomerado em manter as tradições e práticas do processo.

Mas esta não é a primeira Leffe que provamos! Não, a Leffe Blonde já esteve em nosso programa e deixou saudades. Sim, a Leffe Radieuse vem para saciar a vontade destes degustadores que vos falam por cervejas especiais.

A Leffe Radieuse é classificada como Belgian Dark Strong Ale (BJCP 18E), que é um estilo pouco explorado, mas bastante atraente. O “Dark” no nome não se refere, necessariamente, a uma cerveja escura, mas sim a uma cerveja mais escura que a “Golden”.

Mas a simplicidade acaba aí. No aroma, o estilo pede diversas notas em destaque e permite tantas outras em segundo plano. Álcool, frutado, condimentado, pão, tostado, picante, frutas vermelhas e caramelo são algumas dessas notas. O lúpulo pode aparecer, mas bem levemente.

De coloração entre o vermelho e o marrom, passando pelo cobre escuro, a cerveja deve vir coroada por uma espuma cremosa (o guia usa o termo moussy, ou seja, como a consistência de um mousse), persistente e com leve coloração. De fato, a espuma lembra muito um creme denso!

O sabor deve ser tão complexo quanto o aroma, com o balanceamento levemente puxado para o maltado, e tem seu amargor considerado baixo quando comparado com o amargor de outros estilos desse porte. Com final seco, ainda que levemente, a cerveja deve prezar pela harmonia e pelo equilíbrio de sabores.

Para completar, a sensação na boca deve ser de uma cerveja de corpo médio, ainda que sejam aceitas cervejas pesadas, com álcool presente, porém não destacado, e de complexidade bastante alta. Esteja preparado para isso!

E para acompanhar uma cerveja radiante (Radieuse, em francês, radiante), escolhemos constratar com um tema sombrio. Vamos falar de Zumbis e queremos o seu cérebro para alimentar a conversa!