Dicas de Harmonização

A harmonização de cervejas com comidas é uma arte. Mas não precisamos ser artistas para começar!

Uma dificuldade comum entre degustadores é harmonizar seu objeto de degustação com outros alimentos. Com a cerveja não é diferente. Encontrar os melhores parceiros daquela cerveja especial pode se mostrar tão difícil quanto escolher uma cerveja especial.

Harmonização: complexa e interessante!
Harmonização: complexa e interessante!

A vantagem da cerveja sobre outros alimentos é que ela aceita um leque muito maior de opções de harmonização. Mas isso pode se mostrar um problema, porque, com tantas opções, o que escolher?

Na dúvida, fique com o básico: escolha petiscos de grande aceitação, como sementes e queijos. Apenas lembre-se de equilibrar os pesos: cervejas fortes com petiscos pesados e cervejas leves com petiscos leves.

Mas se você pretende crescer neste meio, aqui vão algumas dicas para você começar a se aventurar e experimentar novas fronteiras:

Escolha um caminho

Com uma simples pesquisa na internet, você poderá encontrar milhares de maneiras e regras de harmonização, mas basicamente todas podem ser divididas em 3 caminhos:

  • Harmonização por Semelhança: ocorre quando a cerveja e o alimento tem algo em comum, como o aroma, o paladar, a cor, a crocância, etc. Para seguir este caminho, pegue a cerveja e veja o que se destaca mais, como um aroma pronunciado de pão, por exemplo. A partir daí, escolha pães (ou mesmo outros alimentos) que tenham aromas próximos do encontrado na cerveja. Parece fácil, mas a variedade de alimentos é tão vasta quanto a variedade de parâmetros. Encontrar algo semelhante pode se provar complicado;
  • Harmonização por Contraste: ocorre quando a cerveja e o alimento tem algo contrastante, como salgado e doce, amargo e suave, etc. Por experiência pessoal, esta é uma harmonização mais simples e fácil de ser feita. Mas isso não diminui sua importância. É uma escolha muito comum quando nos deparamos com cervejas com extremos, como IPA’s, Barley Wines ou Stouts, por exemplo. Ao escolher esse caminho, lembre-se de quebrar o que se destaca na cerveja. Por exemplo, uma IPA com amargor acima do normal (na casa de 100 IBU’s) pode harmonizar muito bem com um molho agridoce. Esse agridoce é capaz de quebrar o amargor e vice-versa;
  • Harmonização por Equilíbrio: este caminho é próximo do caminho da Semelhança, mas ele leva em conta a cerveja como um todo, bem como o alimento. É uma rota mais complicada, mas é uma ótima alternativa para quando o Contraste não funcionar. Para seguir por este caminho, defina a cerveja como forte ou fraca, pesada ou leve, complexa ou simples, etc. Siga a mesma definição para escolher o alimento.

Uma vez escolhido o caminho, tudo ficará mais fácil. Acredite!

Defina o orçamento

Não é porque a cerveja é cara que ela precisa harmonizar com algo caro. A mesma ideia serve para as cervejas baratas. Se você definiu o caminho que vai utilizar, tudo passa a ser secundário, a servir como ajuste.

A ideia de definir o orçamento é para facilitar sua vida na hora que você for ao mercado. Qual o valor ideal e qual o valor mínimo são parâmetros que você deve definir. Em breve, colocaremos algumas ideias (com as receitas) para você testar. Mas é útil ter uma perspectiva para começar a guiar suas escolhas.

Pense na ocasião, nas pessoas e na cerveja. Faz sentido harmonizar uma DeuS com churrasco? Faz sentido harmonizar uma Glacial com caviar? Faz sentido optar por pratos individuais quando o evento tem 50 pessoas? Faz sentido comemorar uma promoção com uma Barley Wine?

As respostas para essas perguntas devem ser suas e não se preocupe se alguém achar que você está errado. Siga sua ideia original, teste, experimente. Se não funcionar, você poderá tentar de novo em outra ocasião. O importante é que você seguiu o caminho que definiu no começo.

Um exemplo: você opta por harmonizar uma Pilsner por Equilíbrio. Para orçamentos menores, petiscos como amendoim devem bastar. Com um pouco mais, você pode optar por uma massa ao alho e óleo. Mais um pouco, um risoto de alho poró com um filé ao ponto. Mais, uma paella.

A lista de possibilidades é infinita. O que vai definir sua base é o orçamento.

Harmonize a Drinkability

Pense agora no quanto vai beber. Mesmo que a drinkability seja uma possibilidade de harmonização por equilíbrio, ela deve ser levada em conta em qualquer um dos caminhos que você escolher.

E aqui vale colocar uma regra: sempre harmonize por equilíbrio quando definir a drinkability. Você não quer abandonar a cerveja antes do fim do alimento, nem que sobre cerveja ao fim de um prato. Se você deseja harmonizar, mantenha a cerveja e a comida no mesmo ritmo!

Aproveite!

Lembre-se sempre de se divertir quando estiver degustando e quando estiver harmonizando. Estas duas atividades devem ser prazerosas e divertidas, nunca estafantes ou entediantes.

Agora chega de papo e vá harmonizar!