O Crescimento da Harmonização com Cerveja

Cada vez mais chefs e mais restaurantes aderem a cultura cervejeira para harmonizar seus pratos e isso tem trazido resultados.

A notícia saiu hoje no All Beers, um evento dentro do Festival Brasileiro da Cerveja dedicado a harmonização de rótulos com pratos da alta gastronomia. Achei fantástico! Já tem alguns anos que esse movimento começou, mas agora começamos a ver os efeitos práticos disso.

Harmonização com cerveja: movimento cresce na alta gastronomia!
Harmonização com cerveja: movimento cresce na alta gastronomia!

Quando cobrimos o Degusta Beer & Food, já havia comentado como o movimento tinha ganhado força, inclusive porque, na ocasião, quem abriu o evento foi o Alex Atala. As tradicionais hamburgadas do Ronaldo da Cervejoteca, os foodtrucks servindo cervejas e até foodtrucks de cerveja são ótimos exemplos desse crescimento. E tem ido além. Aos poucos a cerveja tem aumentado sua participação na harmonização em relação ao vinho, sempre tido como o queridinho dos metres. E não só em comidas pesadas ou gordurosas, mas em pratos finos, saladas, sobremesas e afins.

Imagine você que tem cervejas caseiras desenvolvidas para harmonizar com a especialidade da casa (literalmente), seja ela churrasco, estrogonofe, massa ou uma bela feijoada. E para harmonizar com eventos também! Como definir a melhor receita para celebrar um casamento, o nascimento de um filho, as bodas de ouro, uma mudança? E receitas para definir empresas? Tenho me deparado com isso também.

A situação está tão interessante que levou o Science of Beer a desenvolver esse evento, que eu espero muito que vire um curso regular do instituto. Talvez não no mesmo formato, mas com os mesmos princípios. Até o Senac tem um curso de harmonização de cervejas, daqueles mais básicos, mas tem.

O evento consiste em apresentar pratos ao público e disponibilizar dois rótulos que harmonizam com cada um deles. E o melhor, não são receitas desenvolvidas diretamente para os pratos (ou vice versa), mas sim rótulos comuns com pratos pré-definidos, sim, porém “genéricos”. Entre aspas porque não é um executivo do pé sujo, mas que qualquer restaurante poderia ter em seu cardápio.

Se você estiver no Festival, vale a pena conferir!