Cervejaria Artesanal 169, da biblioteca para a panela

Com dois rótulos convidativos, a Cervejaria Artesanal 169 chega ao mercado com uma proposta: alquimia!

Essa semana recebi um convite muito interessante, acompanhar o lançamento da Cervejaria Artesanal 169 e seus dois rótulos, a Sr. White e a 007 Lúpulos. O convite partiu do Eduardo, lá do TV Cerveja (casa dos cursos do Cerveja CSAC, por sinal), e aceitei assim que o recebi. A degustação foi feita com as cervejas no tap, mas elas também estão disponíveis em latas de 473 ml. Mas chega de resumos, vamos aos acontecimentos.

Cervejaria Artesanal 169: Apresentação no TV Cerveja da saborosa 007 Lúpulos e da estrela da noite Sr. White!

Quem conduziu a apresentação foi o Renato, um dos sócios da cervejaria. A história deles começou em 2012 quando, em uma viagem ao Canadá, descobriram as particularidades da cerveja caseira e, já de volta ao Brasil, passaram a fazer suas receitas em uma biblioteca, cujo número da casa era 169, dando origem ao nome. Como todo cervejeiro caseiro, a paixão desses amigos pelo mundo cervejeiro só cresceu e os levou a fazerem cursos que complementassem seus estudos.

Dentre eles, destaques para os cursos de Sommelier e de Técnico Cervejeiro. Passaram, então, a participar de eventos e concursos. Conquistaram diversos prêmios e menções, em especial uma medalha de prata em uma competição nacional e uma de ouro em um estadual. Avaliações, feedbacks e muitas conversas depois lhes deram inspiração e coragem para dar mais um passo, produzir comercialmente.

Surge assim a Cervejaria Artesanal 169, uma cervejaria cigana (com planos ousados de expansão) e brassagem em Avaré, no interior de São Paulo. Seu primeiro lote teve o registro no MAPA liberado em Dezembro de 2017 (presente de natal, eles contam) e as duas latas podem ser encontradas em alguns pontos de venda, como o Bar TV Cerveja!

007 Lúpulos

A primeira da noite, 007 Lúpulos!

Feitas as devidas apresentações, partimos para a degustação. A primeira da noite foi a 007 Lúpulos, uma Session IPA que leva (pausa dramática) 7 lúpulos em sua fabricação. Um aroma bastante cítrico, principalmente casca de laranja, domina o perfume dessa cerveja, resultado do Dry Hop intenso, já que apenas 2 variedades de lúpulos são utilizados durante a fervura. Ela se apresenta de maneira bastante atraente no copo, com uma coloração dourada intensa e uma espuma branca cremosa.

No paladar, o domínio dos lúpulos é avassalador e o malte fica como um coadjuvante. Novamente são as notas cítricas que prevalessem e aquela sensação de casca de laranja também fica na língua, mostrando um lúpulo bastante resinoso. Como a graduação alcoólica é baixa e a cerveja é bastante leve, beber caminhões pipa dessa cerveja não seria nenhuma dificuldade. Um conjunto claramente desequilibrado pro lado do lúpulo, mas isso a torna mais refrescante.

Mas você deve ter visto minha nota lá no Untappd, 4 estrelas. É uma nota muito boa, acima de diversas IPAs que já tomei. O que me fez diminuir a nota, na verdade, foi uma questão pessoal. Para mim, as notas cítricas estavam exageradas e não havia nenhuma outra nota para rivalizar. Acredito que algumas notas tropicais teriam deixado a cerveja ainda mais próxima do perfil que me agrada. Um Mosaic não faz mal a ninguém, certo? Mas não se detenha por isso, se trata de uma ótima cerveja.

Sr. White

Fechando com chave de ouro, Sr. White!

A ordem de apresentação das cervejas não foi acaso, mas planejada. Sem nenhuma dúvida posso afirmar que, se a ordem fosse inversa, a nota da 007 Lúpulos seria mais baixa. Isso porque a Sr White foi A cerveja da noite! Essa White IPA exagerou na qualidade e surpreendeu a todos com sua construção redonda e envolvente. Além dos ingredientes tradicionais, semente de coentro, aveia e cascas de laranja e lima da pérsia completam a receita.

No aroma, novamente lúpulos cítricos, mas agora mais puxado para o maracujá. Também foi possível notar um pouco do malte e da fermentação, com notas de pão e cravo. Fazendo jus ao nome, trata-se de uma cerveja bem mais clara e espuma bem consistente e brilhante. Chega, então, o paladar. É aqui que a história muda.

Cabe um paralelo. Se você se lembra de uma postagem em que conduzi uma apresentação de cervejas especiais para quem nunca esteve nesse mundo, deve se lembrar que comentei diversas vezes a importância em não se assustar o bebedor para que ele não se afaste. Uma das formas de se garantir isso é evitar a complexidade na cerveja apresentada. Pois bem, aqui temos uma exceção à regra.

A White IPA da Cervejaria Artesanal 169 parece ter duas caras ao bebedor. Suave, envolvente e macia na boca, agradando até os paladares mais sensíveis. No entanto, complexa, desafiante, sedutora. As notas de maracujá e laranja se misturam com as sementes de coentro e a aveia e entregam algo novo, verdadeiramente inovador! Finalizando com a secura das cascas de frutas, o paladar aparece renovado para o próximo gole que é tão mágico quanto o primeiro! É espetacular.

É verdade que a graduação alcoólica mais elevada pode dificultar o consumo de grandes volumes dessa cerveja, mas todo esse conjunto te faz querer mais! Essa é, definitivamente, uma cerveja para se beber antes de morrer e apresentar a todos aqueles que são apaixonados por cerveja.

A Noite

O Eduardo completou a noite com uma harmonização bastante agradável. Tivemos batatas, coxinhas, bolinhos de carne e de queijo, tudo em sintonia com as cervejas da noite. Ainda rolou uma conversa com os fundadores e os outros participantes do evento, algo bem agradável. Deixo aqui algumas informações que faço questão de divulgar:

  • Local: Bar TV Cerveja, rua Tumiaru, 66. Acompanhe os eventos na página do Facebook;
  • Lançamento: 007 Lúpulos e Sr. White, ambas da Cervejaria Artesanal 169. Segue o site.

Essa história foi contada no Instagram do Cerveja Como São As Coisas e você ainda pode ver alguns flashes salvos por lá. Também teremos outras novidades acontecendo em breve, então recomendo que você continue ligado!

Este slideshow necessita de JavaScript.