Guia Prático de Serviço de Cerveja

Alguns cuidados ajudam muito na hora de degustar uma boa cerveja e boa parte deles podem ser controlados no momento de servir. Saiba como com o nosso Guia Prático de Serviço de Cerveja!

Já comentamos alguns vários detalhes aqui no site, como Temperatura de Serviço e Copos, mas vale a pena ter algo para seguir, ter como linha base. Para isso, resolvemos escrever um Guia Prático de Serviço de Cerveja, para que você possa aproveitar o máximo que a bebida tem a oferecer.

Saiba como aproveitar melhor a sua cerveja com o nosso Guia Prático de Degustação de Cerveja!
Saiba como aproveitar melhor a sua cerveja com o nosso Guia Prático de Serviço de Cerveja!

Preparativos

Nós sabemos das dificuldades impostas pelo nosso cotidiano para “perdermos” tempo preparando alguma coisa, principalmente quando envolve algo tão simples quanto beber cerveja. Mas saiba que vale a pena. E muitos destes preparativos podem ser feitos com uma boa antecedência, como num final de semana, por exemplo.

Comece se preocupando com a cerveja. Qual o estilo dela? O que você sabe sobre as características dela? É uma cerveja mais maltada, mais lupulada, mais alcoólica? Isso para ajudar a determinar a temperatura de serviço da cerveja. Muitas trazem essa informação no rótulo, mas muitas não. De maneira geral, cervejas encorpadas, maltadas ou alcoólicas pedem temperaturas mais altas. Cervejas leves ou lupuladas, temperaturas mais baixas.

Mas pouca gente tem como controlar isso com exatidão. Como a ideia é ser um guia prático de serviço, deixamos como sugestão posicionar seu vasilhame em diferentes locais da geladeira para obter diferentes temperaturas. Por exemplo, coloque as cervejas de temperatura baixa no fundo da geladeira, na primeira prateleira de cima para baixo. Se você tiver uma divisão do tipo “Extra Frio”, pode deixar lá também.

Para temperaturas médias, como 4 a 6, até mesmo 8 graus, desça uma ou duas prateleiras, até chegar na última. Temperaturas ainda mais elevadas podem ficar na porta. Mas aquelas que pedem 10, 12, ou mesmo 15 graus, não tem jeito. Você precisará deixar o recipiente fora da geladeira por alguns minutos.

Muito importante, procure ao máximo manter os recipientes na posição vertical! Isso porque o contato com rolhas e tampas não é recomendado para cervejas, diferente do que acontece com o vinho, por exemplo. Também ajuda a depositar resíduos de fermentação no fundo e a manter a carbonatação.

Ainda nos preparativos, reserve um tempo para cuidar dos seus copos. Lave-os com sabão neutro, enxague a exaustão e deixe secar com a boca para baixo. Deixamos aqui uma dica sobre o sabão: leia o rótulo para confirmar que é neutro! Muita gente confunde o Cristal com Neutro! Normalmente o neutro é o amarelo, mas confirme!

Para guardar os copos, manter a boca para baixo ajuda a evitar acúmulo de poeira, mas pode sujar bastante a borda. Pense na frequência de uso, mas o mais comum é guardar com a boca para cima.

Servindo

Você já sabe, mas não custa lembrar. Escolha o copo de acordo com o estilo de cerveja! Você deve encontrar vários guias, inclusive aqui no Cerveja CSAC, mas para deixar este guia prático de serviço simples, pense da seguinte maneira:

  • Lagers: Preferência por copos altos e finos;
  • Ales: Preferência por copos largos e retos;
  • Claras: Preferência por copos abaolados;
  • Escuras: Preferência por copos “barrigudos”;
  • Weiss: Tem formato de copo especial;
  • Complexas: Pedem copos que retenham o aroma.

Assim você pode brincar com as informações e pensar em qual o copo ideal. Por exemplo, uma Bock é uma Lager Escura com alguma complexidade, o que pede um copo tipo cálice com um acinturamento um pouco abaixo da boca. Assim você retém o aroma, consegue valorizar as características lagers e as características escuras.

Servir no copo “errado” pode prejudicar sua experiência. Aromas podem volatilizar antes de você senti-los, a espuma pode acabar, ou não se reformar, a transparência pode ficar prejudicada, assim como a carbonatação, e afins. Logicamente que não vai estragar a cerveja, mas você pode ter uma impressão ruim por ter escolhido um copo inapropriado.

Agora vamos ao momento de servir. Muito se debate sobre a melhor forma de servir o copo, mas algumas coisas já são de senso comum. Começando pelo básico, evite tanto quanto possível o contato do recipiente (seja garrafa, lata, torneira de chopp, keg, etc) com o líquido e com o copo. Isso porque esse contato pode transmitir sujidades, como partículas de poeira, sabão e outras, o que pode influenciar na formação de espuma, em especial.

Segundo, procure iniciar o serviço com o copo inclinado. Isso diminui a turbulência e a velocidade do líquido, evitando a formação indevida de espuma e diminuindo a volatilização dos aromas. Mas não deixe o copo inclinado até o fim! Alguns estilos, como Pilsners, pedem que o copo esteja reto com cerca de 70% do volume preenchido.

Ales aceitam um período de inclinação maior, até porque muitas delas não buscam espumas altas. Fique atento também a Stouts, que normalmente necessitam de algum tempo para que sua espuma inicial se reduza para que você possa servir o restante da garrafa. E não esqueça da dica sobre as Weiss dada pelo Fafá no Podcast #005! Quando restar cerca de um dedo de líquido na garrafa, agite-a e sirva no copo em pé.

Sempre que possível, procure servir todo o conteúdo do recipiente no copo. Muitas cervejas tem refermentação na garrafa e podem turvar em excesso o líquido restante, caso não seja servido. Quando não for possível, lembre-se de considerar esse aspecto na sua degustação.

Aproveite para ler também nossos guias de Harmonização e Degustação, e lembre-se de comentar o que você achou e qual sua experiência com cada um deles! Curta e compartilhe com seus amigos cervelovers! Fique sempre ligado conosco assinando o blog, curtindo nossa página no Facebook ou no Google+ e seguindo-nos no Twitter!