Eisenbahn Strong Golden Ale

A cerveja da semana faz parte da carta de cervejas de uma marca que tem uma história muito interessante e que tem se repetido com frequência, não só no Brasil, mas em todo mundo: uma cervejaria artesanal que foi comprada por uma grande fabricante e que teve, como resultado, uma expansão na sua distribuição.

Nosso livro-referência (Larousse da Cerveja) classifica a escolha da vez como Belgian Golden Strong Ale (18D), ou seja, alto teor alcoólico, bastante lúpulo, alta carbonatação e tudo mais que uma cerveja forte pode proporcionar. Esse é o mesmo estilo de outras famosas cervejas, como Duvel, Delirium Tremens e Urthel Hopit.

A versão brasileira surgiu em uma microcervejaria de Santa Catarina, com distribuição basicamente local. A qualidade e o sabor da marca conseguiram expandir o nome e o alcance. O ponto alto foi sua compra pela Primo Schincariol Indústria de Cervejas e Refrigerantes, um grupo com distribuição nacional e produção dentre as maiores do mundo. Hoje, ela faz parte do grupo Kirin Brasil.

As sugestões de harmonização são bem diversificadas, incluindo frutos do mar, queijos e massas em geral. Inusitada é sua combinação com acarajé e doces, mas é claramente uma harmonização por equilíbrio. Mas seja contraste, equilíbrio ou semelhança, o importante é ter em mente que esta é uma cerveja forte.