Ser Sommelier S2D3 – Bruno Couto e Cervejaria Treze

Fechando a semana, uma pausa nas aulas para conversar com Bruno Couto, da Cervejaria Treze!

Motueka, Norma e Moscow Mule Sour, da Cervejaria Treze!

Para fechar a segunda semana do curso, uma participação especial. Bruno Couto, um dos sócios da Cervejaria Treze, veio para contar um pouco da sua trajetória, do funcionamento da empresa e de alguns planos para o futuro. Ele aproveitou, também, para falar de processos produtivos e nos guiar pelas degustações de suas criações. Uma pausa no roteiro muito bem encaixada e um papo bastante descontraído definem bem essa aula.

Mas antes de chegar no Bruno, tivemos a parte teórica dos temidos off-flavors. Vale dizer que nem todo off-flavor é prejudicial, e mais, o que é off em um estilo pode ser requisito para outro. Que tem sua origem no processo de fabricação temos os famosos dimetil-sulfato, ou DMS, que apresenta aroma e sabores de legumes cozidos; Diacetil, e sua clássica nota de manteiga, e; Acetaldeído, também conhecido pela característica de maçã verde.

Completam o time o Iso-butanol, com elementos que lembram farmácia e hospital, e Acetato de Etila, reconhecido como removedor de esmalte. Com a entrada de outros elementos, com a luz, surge o Ligth Struck, que pode ser identificado pelas notas que lembram cheiro de gambá ou de ervas. Claro, não poderia ficar de fora a oxidação e seu delicioso gosto de papelão (ou baralho velho).

Bruno Couto e Cervejaria Treze

Publicitário, resolveu fazer um curso de Sommelier de cerveja e acabou criando uma das cervejarias ciganas de destaque no mercado. O legal de ouvir a história do Bruno é que ele passou pelos mesmos caminhos que muitos de nós trilhamos hoje. Fez, e ainda faz, muita cerveja na panela. Hoje em caráter P&D, sim, mas antes para conhecer e se divertir. Chegou em um ponto onde ou passava para o mercado, ou deixava como hobbie.

Depois de lançamentos como Caipirinha Sour, Norma, Baleia e Motueka, podemos dizer que ele tomou a decisão correta. Mas nem tudo foi tão tranquilo. No começo, seja por inexperiência, seja por limitações diversas, a Cervejaria Treze não conseguiu se desenvolver tão rápido quanto os planos de seus idealizadores. A fluidez do projeto só veio mesmo quando fecharam a parceria com a Dádiva, planta que hoje fabrica os rótulos de terror e rock.

Com linhas bem definidas e muito estudo, os planos para o futuro são ousados. Mas, como o Bruno bem disse, precisam ser. Ficar sempre na mesma trilha não é inovar, portanto lançar releituras de estilos clássicos de escolas tradicionais é uma maneira sim de inovação, de manter a revolução em movimento. Aliás, durante toda a conversa, fica evidente a paixão que ele tem sobre o assunto cerveja, fundamental e cativante em qualquer cervejeiro.

Degustações

Não tivemos degustações às cegas dessa vez. Antes do Bruno começar, o Riccelli trouxe a mais tradicional Rauchbier do mercado, a Aecht Schlenkerla. Provamos a versão Märzen, e mesmo que não seja muito atraente para os bebedores em geral, bacon é A nota da cerveja. A versão mais porrada dela, Doppelbock, está no Brasil e simplesmente preciso! Quando tiver apropriadamente tomado a garrafa toda, posto aqui minhas impressões.

Riccelli servindo a Aecht Schlenkerla Märzen!

Depois veio a vez da Cervejaria Treze e seus três rótulos bastante distintos. Começamos pela Motueka, uma New England IPA Single Hop. O lúpulo Motueka é neozelandês e sua combinação com uma NEIPA ficou muito interessante. Essa linha vai receber outros rótulos com a mesma receita, mas outros lúpulos. Vale a pena acompanhar. Depois tomamos a Norma, uma West Coast IPA que tem uma família interessante.

A Norma não está sozinha! Além dela, Norman e Bates fecham o complexo mistério que é essa família. Norman é uma NEIPA e Bates um Blend entre as duas primeiras. Pela qualidade da Norma, ficou o desejo de provar o trio! E fechamos com a Moscow Mule (não Moscoso Mike, obrigado corretor) Sour. Essa linha busca aproximar o mundo da cerveja do universo da mixologia. Baseada no drink de mesmo nome, a cerveja leva gengibre e limão, deixando ela com uma característica bem particular.

Total de degustações: 38! Ah, antes que eu me esqueça, reserve o dia 13/04 =)