Ser Sommelier S9D1 – Jantar Harmonizado

Abrindo a última semana do curso, um jantar harmonizado com clima de descontração.

Entre os pratos do jantar harmonizado, destaque para o carbonara com panceta reduzida na IPA em conjunto com uma American IPA!

O jantar harmonizado começou tenso. Os grupos, ainda incertos dos temas dos demais, se entreolhavam e, eventualmente, um membro ou outro saía para investigar. Pergunta daqui, pergunta de lá, tudo parecia seguir tranquilamente. Era chegada a hora. Cada “estabelecimento” entregou sua Carta de Cervejas e a tensão começou a diminuir. Sem surpresas, a criatividade foi a tônica dos trabalhos, que contaram, até, com adesivos.

Brincadeiras a parte, tivemos um momento de entrega do trabalho antes do início dos serviços de jantar. Temas bastante variados foram apresentados, como os nove mundos da mitologia nórdica, seleção brasileira de ouro do futebol, bruschettas e culinária nordestina. O nosso grupo escolheu tradicionais pratos de botecos e lanchonetes, os famosos “comerciais” ou “executivos” e criou o PRATODODIA. Com harmonizações bem diretas, e algumas muito curiosas, montamos a arte e a apresentação para lembrar um cardápio de bar mesmo. Pra ficar igual, só faltou plastificar.

As notas serão entregues na próxima (e última) aula do curso, que também contará com uma avaliação, mas de serviço. Não consigo adiantar muita coisa, porque a arte dos grupos foi muito variada e criativa, mas o que mais pesa mesmo é a validade da harmonização. Mas posso dizer que Strogonoff com Petroleum foi a combinação mais inesperada que eu vi até agora. Segundo o Dylan, fica fantástico. Farei a prova prática em um futuro próximo (e compartilharei os resultados, claro).

O evento

Nessa aula, o Riccelli trocou o papel de professor pelo de organizador do jantar harmonizado e serviu os alunos a noite toda. Para os mais atentos, diversos detalhes de como se deve conduzir um evento desse porte. Um cardápio entregue no começo, as cervejas servidas um pouco antes dos pratos, a apresentação das garrafas durante a harmonização com o prato referente. Algumas conduções com relação a notas e sensações e uma atenção redobrada à apresentação do conjunto, substituindo imediatamente qualquer copo ou prato que não estivesse a altura do momento.

Começamos com um pernil feito com Pilsner harmonizado com a Colorado Cauim. A cerveja realçou a carne e limpou o palato em um clássico exemplo de harmonização por limpeza. Veio, então, a rainha da noite. Uma panceta reduzida em IPA adornava um aromático prato de spaghetti carbonara e a harmonização foi com a Maniacs IPA. Ainda que a cerveja não estivesse com a potência desejada pelo Riccelli, a união foi incrível. A pimenta e o amargor da cerveja casaram de uma maneira fantástica.

Seguimos com um risoto de quatro queijos feito com Trippel harmonizado com a Duvel. Uma combinação bastante equilibrada e tranquila, mas confesso que não senti o destaque de frutas amarelas que o professor havia mencionado. Para fechar, um brownie feito com Stout harmonizando com a Dogma EAP II, uma saborosa e aromática Russian Imperial Stout. Se a sobremesa deve fechar o evento, essa fechou com chave de ouro.