Como Apresentar Cervejas Especiais (ou começar a beber)

Sair das grandes marcas e mesmo estilo para pequenas marcas e muitos estilos não é fácil. Como, então, apresentar as cervejas especiais para alguém que está começando?

Estava eu navegando pelas interwebs quando vi um comentário em um grupo do Facebook perguntando como podemos apresentar o mundo de cervejas especiais para um amigo que sempre e somente bebeu cervejas de grande circulação. Muitas pessoas prontamente atenderam ao pedido e eu acabei voltando no tempo e fiquei lembrando como foi a minha entrada nesse universo.

Como apresentar cervejas especiais a amigos que nunca provaram nada fora do tradicional?
Como apresentar cervejas especiais a amigos que nunca provaram nada fora do tradicional?

Chegamos a comentar alguma coisa no nosso Guia Prático de Degustação, mas cabe aqui uma postagem exclusiva para o caso. E vou começar com uma separação importante, as cervejas especiais aqui consideradas pouco tem a ver com a quantidade produzida mundialmente da receita. Estamos considerando aquelas que não são responsáveis por 95% do consumo de cervejas do país, ok?

É importante colocar essa cláusula porque senão seríamos obrigados a retirar da lista rótulos como Blue Moon, Leffe, Eisenbahn, Weihenstephaner, Paulaner, Hoegaarden e tantas outras. Afinal, essas cervejas tem produção alta e/ou pertencem a gigantes conglomerados do mercado cervejeiro, ou seja, facilmente não se encaixariam no perfil de cervejas artesanais. Foi por isso também que preferi o termo cervejas especiais.

Uma coisa importante de se ter em mente é que a pessoa que vai iniciar sua jornada por esse caminho está habituada a um perfil de cerveja muito bem definido. São bebidas claras, normalmente amarelas ou palhas, transparentes, com graduação alcoólica baixa, pouco ou nenhum amargor, sabores suaves, consumidas a baixíssimas temperaturas, corpo leve e sem retrogosto que se destaque. Portanto, muito cuidado ao escolher cervejas muito diferentes desse perfil. Você corre o risco de afastar completamente a pessoa das cervejas especiais.

Os diferentes perfis de pessoas

Graças a manipulação genética natural, as pessoas são diferentes umas das outras. Algumas são até semelhantes, mas sempre há algo de diferente. Para esse post, vamos separá-las nos seguintes perfis:

  • Pessoas Conservadoras: tradicionalmente são pessoas resistentes a mudanças e experiências. É pouco provável que ela tenha se disposto a provar cervejas especiais, e mesmo que tenha feito, já começa a avaliação com “não gostei”. O segredo, então, é introduzir estilos e rótulos com diferenças muito sutis das cervejas tradicionais;
  • Pessoas Curiosas: a curiosidade tem um efeito interessante, e falo por experiência própria. Ela quer saber, mas tem medo de provar. São pessoas que normalmente te procuram para conhecer o universo de cervejas especiais e ficam muito ansiosas a serem apresentadas a um rótulo desconhecido. Mas cuidado! Não é porque a pessoa está aberta a uma experiência nova que você entrega uma garrafa de Liquid Rio na mão dela;
  • Pessoas Aventureiras: a palavra aventura remete diretamente para coragem e arrojamento. Essas pessoas podem até te procurar, mas é bem provável que resolvam entrar nas cervejas especiais elas mesmas, sem qualquer indicação. É uma faca de dois gumes, mas normalmente funciona. Talvez esse seja o perfil em que você possa mais arriscar;
  • Pessoas Dispostas: particularmente, o perfil mais comum. A pessoa começa a conversa perguntando se você gosta e entende de cerveja, porque ela mesma não entende nada, ou muito pouco. Normalmente busca uma indicação direta e provavelmente vai tomar qualquer rótulo que você apresentar. O segredo aqui é tentar conhecer um pouco mais do paladar da pessoa para depois escolher uma cerveja.

Claro que existem pessoas que se encaixam em mais de um, ou mesmo nenhum, desses perfis. Mas ajuda muito tentar aproximar o perfil dela de um desses.

Cervejas e estilos introdutórios

Vamos matar alguns estilos agora! Russian Imperial Stout, Double IPA, Quadruppel, Barleywine, Sour, Gose, Spiced Beer, Fruit Beer, e a maioria dos estilos belgas e franceses que envolvem experimentos. Muita cautela com Trippel, Dubel, IPA, ESB, Stout, Baltic Porter, Bitter e afins. Eu sei o que se passa na sua cabeça agora, “como assim não posso apresentar uma Wäls Petroleum ou uma London Pride?!”. Calma, não é a hora.

Comece com estilos próximos ao perfil tradicional!
Comece com estilos próximos ao perfil tradicional!

Pense no perfil padrão das cervejas tradicionais. Quais são os estilos mais próximos? Eu diria que Lagers são mais próximas que Ales. Uma American Premium Lager, uma German Pils, ou até uma Vienna. O estilo Märzen e o Dortmunder Export também não vão muito longe. Esses estilos agradam o paladar de pessoas de todos os perfis citados acima, claro que com exceções. Estas também costumam ser cervejas de valor mais próximo das tradicionais, assustando menos quem nunca pagou R$ 10,00 em uma longneck no supermercado (vamos deixar barzinhos e baladas de fora, sim?). Sugestões: Eisenbahn Pilsen, Eisenbahn Oktoberfest, 1500, Bamberg Pilsen, Bierland Viena, DaDo Bier Lager, DAB, HB, Brooklyn Lager, Karavelle Keller.

Vá distanciando do padrão aos poucos!
Vá distanciando do padrão aos poucos!

Subindo um degrau na escala de risco, mas ainda bastante próximos do tradicional, podemos começar a incluir estilos híbridos e Ales, como Kölsh, Altbier, American Pale Ale, Belgian Pale Ale, Weissbier e Witbier. Perceba que esses estilos não fogem muito do perfil definido, mas já trazem características diferentes marcantes, seja pela cor, aroma, sabor, aparência ou sua combinação. Também são estilos que não fogem muito do preço e costumam ser fáceis de encontrar. Até aqui, pode testar com todos os perfis de pessoas, mas tome cuidado com os conservadores. Sugestões: Eisenbahn Kölsh, Bamberg Alt, Eisenbahn Pale Ale, Wäls Verano, Way Pale Ale, Hoegaarden, Paulaner Weiss, Erdinger Weiss, Weihenstephaner Vitus, Erdinger Champ, Bohemia Bela Rosa, Bohemia Caá-Yari, Baden Baden Witbier.

Cuidado para não se afastar muito do perfil tradicional!
Cuidado para não se afastar muito do perfil tradicional!

Mais um pouco agora. Bock costuma ser bem aceito por conta da Kaiser, então vamos colocar o estilo aqui. Vamos juntar os estilos, Amber Ale, English IPA, Dunkel, Red Ale, Porter, Ordinary Bitter, Dunkelweizen e Blond Ale. O perfil conservador já ficou no bloco de trás, agora é o limite para o perfil curioso. Aqui temos estilos de cervejas especiais que “agridem” mais de uma percepção por vez, e também que trazem graduação alcoólica mais forte e perceptível. Se a pessoa for curiosa, mas tiver receio, não insista. Volte um degrau e deixe-a mais a vontade. Sugestões: Franziskaner Dunkelweizen, Erdinger Weissbier Dunkel, Harviestoun The Ridge, Harviestoun Broken Dial, Colorado Demoiselle, Way Cream Porter, Karavelle Red Ale.

Alerta de limite extremo!
Alerta de limite extremo!

Parafraseando o filósofo Galvão Bueno, estamos chegando ao limite extremo! Aqui deixo algumas sugestões que já funcionaram comigo, mas que você precisa definir se é o melhor caso. É bem provável que as pessoas apresentadas a esses rótulos aprovem a sugestão, mas podem se sentir desconfortáveis por estarem tão distante do tradicional. Vamos lá: Amazon Beer Açaí Stout, Crew IPA, London Pride, Paulaner Salvator, Landel Session IPA, Duvel, Gordelícia, Sporro, Badger Golden Glory.

Comentários

As pilsners tchecas, como a famosa Pilsner Urquel, mesmo sendo de um estilo tão próximo, costumam assustar. Quando você fala pro cara “então, essa é uma pilsen de verdade”, as pessoas costumam estranhar. Mas se for um perfil mais tranquilo, pode arriscar.

Escolher garrafas que já ganharam prêmios de melhores do mundo pode ser um tiro pela culatra. Se a pessoa não gostar do rótulo, ela pode acabar desistindo de provar outras imaginando que as demais estarão abaixo daquela. Revele os prêmios somente após a aprovação da cerveja.

Muitos estilos no mesmo dia podem (e vão) confundir o paladar. Escolha no máximo três cervejas diferentes para apresentar a quem está começando. E lembre-se de começar pela mais suave e mais próxima do perfil das tradicionais, assim você dá tempo para as pessoas se acostumarem com a ideia.

Por fim, torne a experiência divertida! Evite dar aquela aula sobre os rótulos da noite, a menos que seja apropriado. Tenha disponível bons petiscos que harmonizem com as cervejas e troque de garrafa apenas quando for conveniente. Se for do interesse da pessoa, ela vai te procurar mais vezes e vai pesquisar sobre o assunto, pode ficar tranquilo! Quando você menos perceber, terá mais um apreciador de cervejas especiais ao seu lado!