Países Produtores de Cerveja: Como a Bélgica se tornou berço da experimentação cervejeira

Nossa série sobre os países produtores de cerveja desembarca na Bélgica, país famoso pelas suas trapistas, pelos estilos e pela DeuS!

Já passamos por Alemanha, República Tcheca e Inglaterra. É chegada a vez da Bélgica entrar na dança e apresentarmos um pouco mais desse país que tem verdadeira obsessão por criar novas variedades de cerveja, utilizar novos ingredientes e desenvolver novos copos!

Países produtores de cerveja: a série traz hoje a Bélgica, terra de estilos, receitas e copos!
Países produtores de cerveja: a série traz hoje a Bélgica, terra de estilos, receitas e copos!

A palavra que provavelmente melhor define a Bélgica cervejeira é variedade. São cerca de 25 estilos criados no pais, cada um com infinitas variações regionais. Mas isso é só o começo. Os belgas também costumam variar as cervejas ao longo do dia ou ocasião, escolhendo cervejas diferentes para aperitivo, prato principal e sobremesa, por exemplo. Como se não bastasse, eles defendem que cada cerveja, e por cerveja leia receita, deve ter seu próprio copo.

Você deve imaginar diversos copos iguais com impressões diferentes, certo? Pois os belgas querem um desenho de copo pensado exclusivamente para aquela receita. É claro que muitos serão semelhantes, mas as pequenas diferenças entre eles é que os fazem específicos para aquela cerveja.

Tanta valorização pela variedade tornou a Bélgica um país ligeiramente resistente a estilos unânimes, como o Pilsner. Não que o estilo não tenha ganhado uma releitura belga, basta provar a Stella Artois, mas os locais consomem cerca de 25% a menos do estilo quando comparados com seus vizinhos alemães, holandeses e franceses.

Mas eles prezam pela complexidade. Basta provar alguns dos seus estilos mais famosos, como as Strong Ales, ou mesmo uma Witbier, que percebemos que um estilo que busca a simplicidade não encaixa bem no gosto da população.

As Trapistas

A Bélgica é lar de 6 dos 10 mosteiros trapistas fabricantes de cerveja. Espalhados pelo país, os locais buscam na cerveja uma valorização da cultura monástica. Suas cervejas podem ser tão famosas e mundialmente distribuídas como a Chimay, quanto exclusivas e locais como a Orval.

Achel, Rochefort, Westmalle e Westvleteren completam o time. Teve dificuldade em pronunciar o último? Esse texto do Luquita pode te ajudar! O mesmo mosteiro é detentor de um dos muitos títulos de “melhor cerveja do mundo” colecionados pela Bélgica.

A Levedura Selvagem

Fundamental comentar sobre uma das características locais mais surpreendentes e fantásticas da Bélgica! Em uma de suas regiões, as leveduras selvagens que circulam pelo ar são verdadeiras leveduras cervejeiras de ótima qualidade. O estilo Lambic e diversas de suas variações só foram possíveis graças a ação dessas leveduras.

Qualquer lugar do mundo pode fermentar sua cerveja com levedura selvagem. Muitas delas ficarão muito ruins, rançosas e azedas. Algumas estarão aptas, se consumidas em poucos dias. Poucas poderão ser vendidas como cervejas boas. Mas somente as belgas serão de qualidade e complexidade apreciáveis.

As leveduras selvagens são endêmicas, ou seja, cada lugar tem a sua, com características diferentes que competem a cerveja qualidades diferentes. No Brasil, por exemplo, as leveduras selvagens estão sendo estudadas, mas ainda não foi encontrada uma adequada para a fabricação de cerveja.

Ficou com vontade de ir agora para a Bélgica provar toda essa variedade?